Os novos gestos da política: sobre cidadania e formas estéticas de resistência na era digital

Eli Borges Junior

Resumo


Este artigo pretende apresentar uma discussão sobre a questão do gesto, seu “lugar” e sua “natureza”, no âmbito da política contemporânea. Atravessando concepções sobre o gesto, como as de Giorgio Agamben e Georges Didi-Huberman, partimos da hipótese segundo a qual haveria uma inexorável indissociabilidade entre gesto e política: é pelo gesto, especificamente por sua possibilidade de reunir as dimensões ética e estética, que as formas de cidadania e resistência se tornam um exercício possível e efetivo. Num contexto marcado pela explosão das redes digitais, em que medida se alteram esse “lugar” e essa sua “natureza”, já que o corpo físico, fonte e “forma” primeira do gesto, sugere adquirir uma espécie outra de presença a partir dessas novas tecnologias? Isso significa perguntar: estaríamos diante de uma nova gestualidade, e, por conseguinte, de novas possibilidades de exercício da própria política?


Palavras-chave


Gesto; Resistência; Cidadania; Estética e Política; Era Digital

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Federal de Juiz de Fora

Programa de Pós-graduação em Comunicação
Lumina - Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora

E-mail: revista.lumina@ufjf.edu.br

Classificação Qualis-CAPES : B1

ISSN 1516-0785 | e-ISSN 1981-4070

Diretórios e Indexadores:

Siga a Lumina